Superação. Eu nunca soube o que realmente significava essa palavra. Pois hoje sei que é uma vitória que só o dono dela pode compreender. É a vitória de uma luta consigo mesmo.
E onde eu cheguei, só eu posso compreender. Depois de tantas vezes que simplesmente achei que não tinha mais forças, das milhares de vezes que cogitei desistir, das dificuldades cada vez maiores, dessa batalha árdua e contínua, eu ainda estou de pé. Eu tive apoio, tive e tenho pessoas que batalham comigo e que ficam felizes a cada passo, mas a alegria explosiva de vencer as pequenas coisas que me travavam só rescende mesmo dentro de mim.
A luta não acabou, e eu continuo em frente. Sei das recaídas e das dificuldades que ainda me esperam. Sei que é só um passo e há coisas muito maiores a serem vencidas.
Mas me deixa hoje com a leveza dessa vitória. Me deixa aqui, emocionada, e se não puder compreender, apenas se cale. Me deixa chorar de alegria depois de tantos anos chorando de dor, de angústia, de tristeza. Me deixa sorrir sozinha enquanto lavo a minha casa, porque por tanto tempo eu me martirizei e me culpei por não gostar de cuidar do lugar onde vivo, e agora eu tenho prazer em cada detalhe. Prazer! Só quem vive sem ele sabe a falta que ele faz. Me deixa aqui, cuidando de mim o dia todo, me olhando no espelho, testando aquela maquiagem, penteando os cabelos. Hoje eu consigo me olhar sem repulsa, você sabe o que significa isso? Que se dane se alguém reparar nas minhas cicatrizes. Hoje convivo com elas, não com nojo, não com amargura, mas com orgulho. Pois só eu sei como foi difícil chegar a esse ponto e me livrar de todo o sangue. Me deixa estar eufórica por estar assistindo todas as aulas, porque a rotina só me prova como eu estou recuperando o controle da minha vida.
Se passou uma semana. Sete dias! Sete dias normais. Sete dias de paz. Sete dias sem que minha alma me martirizasse com a angústia e me penalizasse com todos os sintomas físicos terríveis. Meu Deus, obrigada. Sete dias de luz são uma eternidade pra quem passou anos no fundo do poço.
Então eu vou ficar aqui. Vou cozinhar, ver um filme, ler. Ah, como eu tinha esquecido do conforto de ler um livro. Vou cantar uma música, dançar sozinha, dormir. Vou concluir minhas obrigações, vou fazer escolhas. E repetir pra mim mesma, diversas vezes, como isso é bom. Porque hoje eu sei: eu sou uma guerreira, uma vencedora, uma pessoa forte. E hoje eu tenho um sentimento que há muito havia me abandonado, que me move e me faz seguir em frente... Hoje eu tenho esperança!
E não era bem como esperava ser, perder a sua sorte e vaidade... (♪


Sempre achei que cafajestes eram cafajestes pelo sexo. Sempre acreditei que era isso que eles queriam quando enganavam as mulheres. Mas não é bem assim. Tive que descobrir quebrando a cara que os cafajestes querem o conforto de uma relação sem obrigações. Querem carinho, atenção e amor incondicional sem oferecerem reciprocidade. Querem ajuda, apoio e fidelidade, sem ter que dar isso em troca. Por isso enganam, iludem, insistem. Não querem permitir que ela o esqueça e abrir mão de todos os privilégios. Querem o sexo e o amor. Querem qualquer uma que possa oferecer todos os benefícios sem exigir sacrifícios em troca. E isso é ainda mais cruel que apenas desejo físico.

Pode dizer o que quiser, eu sou mesmo uma bomba relógio. E não aguento mais esse tic tac. Preciso dar um fim a esse tormento. Todas as quintas feiras eu começo a me sentir mal. A proximidade do final de semana me aflige, nunca sei como vai ser. Eu nunca sei se terei o direito de te ver, nunca sei como agir em relação a você.
Um sumiço qualquer me desorienta, é sempre possível -e provável- que esteja oferecendo sua atenção e entregando seu corpo a outra, é sempre possível que você esteja se apaixonando por outro alguém.
Eu preciso de alguém que me ame. Eu mereço alguém que realmente queira ficar do meu lado. Mereço alguém que faça questão de mim, que possa me oferecer fidelidade. Que possa  me oferecer segurança. Eu não tenho estrutura pra ficar tão exposta e tão insegura. Eu não preciso viver me comparando e me esforçando pra ser melhor que uma outra pra não te perder num final de semana qualquer. Eu mereço alguém que me faça sentir única, que demonstre me escolher pelo que sou. Alguém que não me faça sentir substituível por qualquer outra que te dê carinho e o menos possível de aborrecimentos.
Eu quis tanto ficar sempre do seu lado. Eu quis cuidar de você bêbado e rir das suas palhaçadas com a maior paciência do mundo. Eu quis falar com você quando estava estressado pra te confortar. Quis te ajudar com tudo que pudesse, tomar pra mim os seus  problemas, e fazer tudo que pudesse pra estar por perto. Eu quis ser integralmente sua. Mas eu mereço alguém que possa me oferecer reciprocidade. Eu mereço segurança, teto, conforto. Meu coração está cansado de ficar na chuva. Eu preciso de alguém que confie em mim e me inspire confiança. 
Eu só te quero se for por inteiro. Eu só quero amor se for completo. 
Eu quero -e preciso- de um relacionamento que me ofereça paz, não angústia.

" Eu demorei pra entender que ter alguma sensação familiar com o carinha que te enrola há anos não é mágico, é natural e triste. E isso não devia ser usado como uma desculpa confortável pra eu esperar mais um ano, deixar escapar mais 365 dias da minha vida. Incrível mesmo é se sentir em casa com alguém que tá contigo há pouco tempo, mas tá tão contigo que parece que esteve ali a vida toda. Alguém que faz questão de você e inspire segurança, conforto, afinal, casa é isso, não é? Antes eu morava na rua, descoberta numa calçada, debaixo de muita chuva e pouco sol. Hoje eu sei, mas demorei pra entender. Pareciam intermináveis os dias em que eu acreditei poder consertar alguém sem conserto e só acabava me quebrando um pouco mais. Passei uma eternidade aceitando condições absurdas e implícitas, cuidando, limpando todo o sangue do outro e tendo hemorragia interna. Me doando, me doendo e recebendo partidas ingratas, desculpas não sinceras, falta de consideração. Sempre soube o que eu merecia e o que não, gritei, impus meu valor por inúmeras vezes, até o dia que eu me calei. Porque tudo que eu sempre fiz questão de explicar, repetir e lembrar pras pessoas, coisas sobre eu ir e não voltar, sobre não me deixar ir então, é o tipo de coisa que o outro só percebe sozinho. Da pior forma. Não adianta fazer maquete, gráfico, teatro. De alguma maneira louca, a minha felicidade foi mais eficaz do que qualquer cena ensaiada. Qualquer fala improvisada. E eu já não preciso ser atriz... olha só que desfecho, sou leve e feliz."

Marcella Fernanda

Sabe, no fundo eu espero alguém que seja pra mim o conforto da TV ligada.Que só com a sua presença me dê segurança e me faça sentir em casa. Alguém que me abrace no meio de uma briga, que queira ficar do meu lado o domingo todo. Procuro alguém que ligue pra dizer bom dia bem no meio da semana.
Acho que no fundo eu sempre esperei mesmo alguém que me esperasse entrar no ônibus pra dar um tchau pela janela; alguém que só fosse embora depois que visse o ônibus sumir na curva. Alguém que quisesse absorver qualquer minuto a mais comigo numa despedida.


“Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.”

 - Caio Fernando Abreu

Você não gosta de mim.
Você gosta do estado de se dizer
gostando de alguém.
Gosta de falar
de amor.
De suprir suas carências. De ser brega quando quer.
Gosta de projetar 
um par.
Mas não gosta de mim.
Só precisa de qualquer uma que fique ao seu lado,
que te ofereça amor.
Você só quer alguém que te ofereça
benefícios sem exigir sacrifícios; seja quem for.
Você não me diferencia,
eu sou apenas a bola da vez, como todas as outras.
Substituível. 


Aprendendo a falar menos. Meu erro foi sempre falar tudo o que penso, tudo o que sinto. Nossos próprios pensamentos nos enganam! Nossos pensamentos são cheios de contradições, nossas emoções são sombra de momentos. E como eu posso viver falando por aí tudo que me passa pela cabeça e passando milhares de impressões equivocadas?
Como eu posso me expor assim?
Estou aprendendo. Estou vivendo. Absorvendo tantas lições, e pagando muito caro pelos meus defeitos.

Eu estou buscando uma maneira de cuidar de mim. O primeiro passo é não depender mais dessa mania ridícula de chamar a atenção de alguém. Eu preciso aprender a viver por mim, para mim, sem precisar mostrar nada pra ninguém, sem precisar dramatizar tudo para ter carinho e preocupação. Eu preciso, primeiro, me libertar. Eu estou doente e precisando de um choque de realidade, sem pilastras pra me apoiar. Quem sabe enfrentando esse sofrimento eu chegue, enfim, ao nível de maturidade que tanto necessito. Tem que ser assim, ao menos por enquanto, quem sabe um dia tudo chegue aos eixos e eu possa viver em paz com alguém. Sofrer não é exatamente algo que eu tenha planejado, mas eu sei que faz parte do plano maior que tenho pra minha vida, que é ser feliz comigo mesma, pra depois estar lado a lado com alguém.

Você me faz sentir como se viver a minha vida fosse um crime. Como se estar solteira fosse um estado errado por si só, independente se é uma escolha ou não. Me faz acreditar que qualquer gesto, palavra ou expressão são errados. Que qualquer sorriso é fora de hora, e que qualquer lugar não é adequado.Você me faz sentir culpada por viver. Você faz com que eu me sinta uma puta só por existir. Faz com que eu me imponha uma centena de regras imaginárias doentias, que só me destroem aos poucos. Você me faz acusações e de tanto descrever a imagem horrível que você inventa, me faz vê-la no espelho também. Você não proíbe, mas julga e condena, e as suas críticas me limitam, a sua pena me desespera. Você me acrescenta dezenas de paranóias, e faz com que eu me sinta não aceita no mundo.
O seu machismo me ataca, suas palavras me magoam, suas atitudes me adoecem. Talvez não seja de propósito, mas sua personalidade me agride. 
Eu questiono tantas coisas, me questiono, questiono você, questiono o mundo; mas no fundo sei que só há um questionamento que deveria ser feito: Por que eu me deixo atingir?

Não se pode confiar nos olhos quando a imaginação está fora de foco.

Cinderela Compulsiva Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados

  

Web Statistics