É com muito pesar que hoje eu venho pra falar da morte. Não pra quem vai, pois daqui do lado de cá eu jamais poderia saber sobre. Mas pra quem fica.
A morte dói para aqueles que permanecem vivos. Dói para os familiares, os amigos, os entes queridos.
A morte é a saudade, é a ausência física que nos pega de surpresa e nos faz acordar ainda nos primeiros dias com a estranha sensação de que vamos ver aquele olhar na nossa frente.
Todos nós vamos morrer. Mas o pior é que, antes que chegue esse dia, todos nós vamos perder alguém. E nunca estamos preparados para isso.
Hoje ao amanhecer eu me deparei com a triste notícia de que mais um homem bom se foi. Um homem que pela vida toda me acolheu, me recebeu com um sorriso no rosto, me abriu as portas da sua casa pros meus melhores e pros meus piores dias. Um grande amigo. E, enquanto enxugava minhas lágrimas, eu pensei sobre essa nossa grande e cruel companheira que, queiramos ou não, nos acompanha por toda nossa caminhada.
E é por isso que estou aqui para deixar a minha homenagem a esse grande homem, grande marido, grande pai e grande avô, que deixa hoje as 5 mulheres da sua vida entregues aos cuidados do mundo. Por isso estou aqui para desejar a estas o meu carinho, o meu cuidado, e a força necessária para lidar com a morte.
Que o tempo possa deixar a todos nós a lição de que o elo que nos liga a alguém é um fino fio de cabelo, e tudo que vamos levar são as lembranças, por isso devemos aproveitar da melhor maneira possível cada minuto ao lado de quem amamos. A lição de que a vida é muito frágil, e por isso devemos procurar todos os dias sermos fortes.

A declaração mais linda *-*

"Você é como uma pálida lembrança que insiste em voltar a mente mesmo quando não quero lembrar, você é memória que vem e volta vez ou outra, quando não estou pensando sobre; e o pior de tudo é que, diferente de todas as minhas ilusões, você está viva, e insiste em existir: na minha vida, na minha história. Já me apaixonei, já amei, tive rolos e desejos sexuais momentâneos. Mas eu nunca consegui entender esse efeito que você impõe em mim. (...)
Como você gosta de escrever, estou te escrevendo agora, e, diferente de você, não escrevo de mais ninguém além de ti. É como se o combustível de meu intelecto literário fosse movido a nossas lembranças.(...)
Eu não estou feliz, também não estou com nenhum outro sentimento; eu sinto sua falta. Não me contenta visualizar seu perfil por fakes ou olhar as fotos suas que guardo comigo. Talvez eu seja algum maníaco por você, talvez tenha que me tratar. Mas não sou obcecado. Você não fica na minha cabeça o dia todo, nem a semana. Mas de vez enquanto meu corpo pede, minha mente me cobra:
Onde está a Sol?
E não faz sentido eu sentir essa necessidade básica de você, como se fosse uma fome
ou sede.(...) Lembrar do seu beijo ainda me acelera o coração, mas(...) eu tive a oportunidade de viver a vida até aqui, e ainda não entendi porque quando o assunto é você eu te desejo tanto.
Vou ser bem sincero e vou te falar a verdade sem você pedir: não te acho a mulher mais linda do mundo, mas algo em você te torna a mais indicada.
Não sei se é a sua personalidade que me faz ficar tão necessitado de você, ou se é seu intelecto que me atrai.
Você é linda, sim claro que é.
Sabe se vestir, sabe se maquiar, fala bem, se comporta como deve. (...) E com o tempo fui notando que você não era igual as outras pessoas. Você tinha uma história.
Pelo que eu imagino uma história triste; -não sei qual é, eu juro que não.
Mas quando vejo cada nota poética proferida em seus textos eu tenho certeza de que nessa mente cheia de devaneios tem alguém que já superou muito mais do que realmente conseguia.(...)

Tudo na minha vida mudou. Meu jeito de ser pensar falar e agir.
Mas você permaneceu lá, imutável, como o sol que nasce todos os dias
do mesmo jeito
com a mesma intensidade e quantidade de luz
emitindo as mesmas cores o mesmo calor
sempre sempre
se repetindo infinitamente.
E eu acabo por não me cansar disso nunca. (...) "


Por um grande cara <3

Felicidade

Eu já não sou a mesma pessoa de antes, e não é porque a vida resolveu ser mais gentil comigo; É porque eu resolvi ser mais paciente com ela! Qualquer um que tenha me visto meses atrás pode notar que eu mudei. Não duvido de que qualquer dia sequer me reconheçam por aí. Sei que dizem que não se deve gritar sobre a felicidade para não acordar a inveja, mas a felicidade faz barulho! Ela tem luz, tem som, tem gosto, não cabe em si. Todo mundo sabe que eu sou uma pessoa incrivelmente alegre quando me vê cantando enquanto espero na fila do pão. Minha alegria transborda nos meus olhos, e não é difícil enxergar que eu nasci de novo.
E esse meu discurso repetitivo de gente irritantemente feliz, releve. Em milhares de textos eu ainda não seria capaz de superar quantas palavras cruéis eu já escrevi a mim mesma, agora eu só quero deixar exalar todos esses sentimentos bons que brotam dentro de mim. Não é uma questão de ter apenas coisas boas pra dizer; As coisas ruins ainda estão aqui. É uma questão de prioridade, sabe? De determinar o lado positivo das coisas como mais importante. De viver diariamente uma espécie de "jogo do contente", e, assim como a "Pollyanna" do livro, enxergar o lado bom de cada sentimento, de cada situação.
Não existe vida perfeita. Ela tem seus altos e baixos e todo ser humano está sujeito a aborrecimentos e mágoas. O segredo está em saber encará-las com otimismo, com fé, com luta.
Eu mudei, mudei pra melhor, e quer saber? Eu amo muito essa pessoa que tomou o meu antigo lugar.

Eu estava totalmente enganada sobre você. E isso me amedronta, pois estava enganada quando disse que você era mais um cara como outros, malandro, sem pudor. Eu errei tanto quando julguei que seu charme estava exclusivamente na sua aparência perfeita...
Não é apenas sua beleza física que encanta, mas seu caráter. Seu brilho, sua alma, sua pureza. Um menino ainda tão intocado pelas armadilhas cruéis da vida, e ao mesmo tempo um homem tão fiel aos seus princípios.
Queria ter te conhecido em outros tempos, quando em mim não existiam cicatrizes, quando ainda não existia essa camada dura que as mágoas criaram. Queria ter te conhecido em outros ares, pra retribuir toda essa pureza que seu coração traz, antes que a vida pudesse ter distorcido tanto os sabores, os amores, os desejos... Queria ter te oferecido meu sorriso ingênuo de quem ainda acreditava no amor...
Você irradia um brilho que eu nunca vou poder te oferecer, e as vezes me sinto culpada por não poder ser essa pessoa leve pra você.
Tudo em você é tão transparente, que traz uma imagem frágil que não quero quebrar. É esse seu sorriso branco recheado de confiança que me encanta, que me enlouquece, que me derrete.
Eu quero me limpar de todo o rancor que carrego nos sapatos antes de entrar pela porta da sua alma.

Dia dos Namorados


No último fim de semana eu tive muito medo. Em anos, seria meu primeiro dia dos namorados solteira e eu não tinha certeza sobre como encararia isso. Sempre odiei o dia dos namorados. E veja bem, durante seis anos consecutivos eu passei esse dia comprometida. Odiava essa data porque era nela em que eu encarava todas as minhas frustrações e todos os problemas acumulados carregados pelos meus relacionamentos fracassados, e esperava agora algo ainda pior. 
Fiquei assustada quando o dia amanheceu surpreendentemente lindo e quando encarei as redes sociais recheadas de declarações com uma naturalidade enorme. Foi contraditório perceber que esse foi o melhor dia dos namorados que já tive.
Finalmente tive a prova concreta que estar bem independe de ter ou não alguém; passar as datas comemorativas feliz vai muito além de passá-las ou não acompanhada, vem de dentro, vem da maneira como você lida com você mesmo. O dia não foi bom porque eu estava solteira, foi bom porque eu me aceitei por completa, enfrentei meus medos e passei a gostar de mim. Foi bom porque eu me libertei das aparências e das prisões, e aprendi a fazer apenas o que me faz feliz.
Observando a guerra entre os solteiros ressentidos e os casais buscando provas da felicidade, pude enxergar todos os motivos que me levaram a tamanha calma e paz interior: O que aprisiona não é a condição, o relacionamento, o status. O que aprisiona é a nossa mente. O solitário pode estar aprisionado pelos próprios medos. O comprometido pode estar aprisionado pela própria angústia e insatisfação. Essa "guerra" insana não tem sentido. A liberdade está em se dar prazer.
E finalmente eu pude perceber que fazer as pazes comigo mesma sarou todas as feridas da alma. Que a partir de agora, estando ou não com alguém, eu me conheço e sei me fazer feliz. E não só o dia dos namorados, como todos os outros dias, amanhecerão lindos pra sempre.


Perdi a conta de quantas vezes bati no peito e te chamei de amigo com orgulho, e de quantas vezes confiei a você aqueles segredos tão bem guardados, e então, depois de tudo isso, vi você me atacar como se eu fosse o pior dos seus inimigos. Confesso que tremi - de raiva - mas coloquei um pouco de açúcar nessa meia xícara de ódio e engoli. Sei que de nada adiantaria me descontrolar e despejar minha raiva fervente em você, pois me desestabilizar era tudo o que você queria quando entrou nesse jogo, e hoje sei que ignorar ainda é a pior vingança. Essa maldade e essa malícia que você tem já são, por si só, os piores castigos que a vida vai lhe infligir. Mentalmente, gritei um foda-se, e, dentro de mim, esse sentimento adocicou e se foi, e você ficou sozinho no tabuleiro.

Não se pode confiar nos olhos quando a imaginação está fora de foco.

Cinderela Compulsiva Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados

  

Web Statistics