Provavelmente eu nunca terei de volta aquele amor. Aquele brilho no olhar, aquele abraço sincero, aquele beijo, ah, aquele beijo. Provavelmente nunca mais vou me sentir daquele jeito. Mas a esperança não morre, e a lembrança não vai embora, e eu fico sonhando e pedindo todos os dias a Deus que tudo pudesse ser bonito como foi um dia. Mas provavelmente não mereço aquela paz interior.
Então fico aqui sobrevivendo por uma esperança e me alimentando de sonhos, te vendo de longe e lembrando seu cheiro. Me culpando pelos meus erros e por ter deixado você ir embora. Eu te tinha aqui, como é que fui te perder assim? Eu vivo de saudade, revivo nossa história todos os dias tentando sentir de novo aquele gosto. Tentando sentir aquilo que só você conseguiu arrancar em mim, aquele sorriso, aquela vontade de ficar junto. Tentando sentir aquele amor que só você conseguiu me oferecer, aquela intensidade, aquela verdade.
Mas provavelmente eu nunca mais vou ser feliz daquela maneira. E provavelmente você nunca vai sentir por mim o que sentiu um dia, mesmo que eu queira e/ou implore, ou exija. O tempo passou enquanto eu não soube aproveitar as oportunidades, e os meus erros marcaram o meu caminho. Pra sempre.
Mas eu ainda te quero; e até que o sofrimento me corroa por inteira, eu ainda estarei te esperando.


"Tenho andado sozinha agora, mas não desisti de ainda te ter."

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Não se pode confiar nos olhos quando a imaginação está fora de foco.

Cinderela Compulsiva Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados

  

Web Statistics